O medo é o seu melhor amigo!
usuario

Publicado por Jota

O medo é o seu melhor amigo


Quantas vezes pessoas que você conhece deixaram de fazer alguma coisa e de se arriscar em uma novidade ou incerteza por causa do medo? Você também já sentiu isso?  Se sim, esse artigo é para você! Vou mostrar que, em muitas ocasiões, o medo é o seu melhor amigo e não o seu pior inimigo, como você já deve ter ouvido alguém dizer.

Não vou entrar no mérito do medo como um mecanismo de defesa, que te faz ficar alerta para sinais que possam ser nocivos e até letais. Estou falando daquele medo que não te mata: o medo de trocar de carreira, de investir em algum negócio, de subir num palco, de terminar um relacionamento, de fazer um intercâmbio… esse tipo de medo.

Os tipos de medo

Existem dois tipos de medo: o ruim e o bom. O ruim é aquele que te paralisa, que te impede de agir, de ir para direita ou esquerda, de ir para frente ou para trás. Daquele tipo que você vê um carro vindo na sua direção e não consegue sair do seu caminho. Você fica ali, estático, catatônico, congelado… e acaba sendo atingido em cheio. Faz sentido por que chamo esse tipo de medo de ruim? Imagino que você não queira sentir-se assim na sua vida ou não gosta dessa sensação.

O medo bom, por sua vez, é aquele que te joga para frente justamente por você ter medo! Ficou confuso? Relaxa, você vai entender agora… Vou explicar esse medo na minha vivência profissional e acredito que você vai conseguir transferir para a sua realidade. Quando digo que o medo é o seu melhor amigo, é desse tipo que estou falando.

Pode ter certeza que, assim como você, quando decidi fazer minha transição de carreira tive receio de não conseguir sucesso no meu trabalho,de não tero reconhecimento e retorno financeiro que almejo, de não corresponder às expectativas dos meus clientes, de não conquistar um patrimônio para minha família, etc. Até hoje, dia após dia, esses medos me acompanham.  Deu para entender, né? O pulo do gato é que aprendi a canalizar esse medo em meu favor e usá-lo como aliado!

É esse mesmo medo de “dar errado” que me faz todo dia querer ser um pouco melhor que ontem, desenvolver algum material novo, alguma estratégia inovadora e atrativa, angariar parceiros, correr atrás de conhecimento na minha área e muito mais! Consegue perceber que foi o meu medo que me fez entrar em ação? E o que normalmente acontece? As coisas dão certo! As coisas dão certo porque partiram de um medo bom!

Corajoso não é quem não tem medo. Corajoso é quem tem medo e ainda assim faz o que é necessário

Quem não sente medo, nem um pouquinho, pode ser interpretado como imprudente, irresponsável, acomodado, prepotente ou até arrogante. Essa pessoa pode adotar uma postura de “tenho certeza que vai dar certo independente do que possa vir a acontecer” ou “não me preocupo em sanar os possíveis problemas”. Entende o que quero dizer? Corajoso não é quem não tem medo. Corajoso é quem tem medo e ainda assim faz o que é necessário. Não se esqueça nunca que o medo é o seu melhor amigo. Achar ou dizer que não sente nenhum tipo de medo é algo que pode te derrubar.

“Beleza, Jota, entendi a diferença, mas só sinto o medo ruim. Tô perdido”? Felizmente não!

Convertendo o medo ruim em bom

Existem duas maneiras de converter o medo ruim em bom. A primeira é assumir que você tem medo e identificar exatamente o que te faz ter esse sentimento. Nessa hora, quanto mais preciso melhor. Assumir que tem um problema, de qualquer natureza, é o primeiro passo para começar a se tratar e curar do mesmo.

A negação é um problema e um ciclo vicioso. Um exemplo válido é a dependência de drogas: o usuário só tem chance de reabilitação quando ele aceita e assume que tem uma dependência.

A segunda maneira é fazer duas colunas em uma folha de papel, escrevendo ou digitando (o importante é não ficar somente na cabeça). Na primeira coluna você irá escrever tudo o que você pode controlar naquela situação que te dá medo, por exemplo, tudo o que você pode controlar na sua transição de carreira. Na segunda coluna escreva o que você não pode controlar!

O medo é o seu melhor amigo: Não tente controlar o que não é controlável

Posso afirmar, com boa segurança, que a maioria das pessoas se travam de medo, ficam ansiosas e se frustram porque elas tentam controlar o que não é controlável!

No caso de uma transição de carreira, elas tentam controlar a crise econômica do país, se as pessoas vão amar o produto ou serviço delas, se elas vão ganhar muito dinheiro e outras coisas mais. Na verdade, o foco deveria ser: O que eu posso fazer para aproveitar o momento econômico do país? Qual estratégia posso adotar para despertar o interesse do consumidor? Quais serão os meios e métodos de divulgação? Como gerar valor agregado para poder cobrar altos preços pelo meu produto? Vou fazer uma pesquisa para identificar o melhor ponto de inserção do meu estabelecimento. Vou dar o máximo de mim em cada atendimento, etc.

Percebe a diferença? Foque nos pontos controláveis e dê o seu melhor ali, assim o que não é controlável passa a ser mais previsível!

Como dizia meu pai, o “resumo da ópera” é o seguinte: Aceite que você tem medo. Identifique o motivo por trás dele e assuma-o. Foque no controlável e faça o seu melhor ali. Perceba o incontrolável, colha feedback e adapte-se usando o medo bom! Não se esqueça: o medo é o seu melhor amigo.

EBOOK: O GUIA PARA SEU TRABALHO VALER AINDA MAIS

Comentários

Comentário