Promoções e descontos podem ser a ruína do seu negócio
usuario

Publicado por Jota

Promoções e descontos podem ser a ruína do seu negócio


Todos sabemos amplamente que o país vive hoje um momento financeiro dramático e empresários e empreendedores estão matando cachorro à grito. Muitos levam a sério aquele ditado que diz que “situações desesperadoras demandam atitudes desesperadas”, levando-os a praticarem promoções e descontos quase absurdos, mas deixa eu te contar uma coisa: basear seu negócio nesses comportamentos pode levá-lo à ruína.

Quais são os problemas das promoções e descontos?

Quando sua única estratégia para atrair mais clientes é fazer promoções e abaixando o preço dos seus serviços ou produtos, duas coisas podem acontecer: você atrairá clientes ruins e possivelmente trabalhará mais do que gostaria.

Existem dois tipos de clientes, sendo esses os de transação e os de relacionamento. Sendo bastante generalista aqui, os de transição são os que dão ênfase nos preços e os de relacionamento, como o próprio nome sugere, no vínculo criado com o profissional, e esse por sua vez já não se preocupa tanto com preços, mas sim com a qualidade do que ele recebe.

Quando você dá muitos descontos está atraindo a atenção dos clientes de transação. O problema consiste no fato de que, como este está sempre procurando um serviço ou produto que seja mais barato, além dele ser aquele chato que está sempre pechinchando, assim que seu concorrente abaixar o preço ele irá abandoná-lo. Clientes com esse perfil são muito voláteis e pouco fiéis.

Se você tentar então cobrir ou até bater os descontos do seu concorrente, você abre um leilão do seu serviço, o que desvaloriza seu trabalho e gera uma percepção negativa sobre os possíveis clientes de relacionamento que você poderia vir a ter. Existe uma pesquisa que comprova que produtos e serviços com preços muito baixos geram uma percepção de qualidade e desempenho inferiores.

O que pode acontecer?

Imagine que você foi em dois alfaiates confeccionar um belo terno sob medida. Um deles lhe cobrou 2 mil reais e outro lhe cobrou 8 mil reais. Qual, à primeira vista, parece ser o mais competente ou ter o material de melhor qualidade? Pois então.

E mais, quando essa promoção acabar e o cliente tiver que pagar o preço tradicional, te garanto que ele vai reclamar bastante.

Se essa guerra de preços baixos permanecer, para você se manter vivo no mercado, invariavelmente terá que diminuir custos para ainda manter uma certa margem de lucro, certo? E o que acontece quando o foco se torna simplesmente reduzir gastos? A qualidade final cai. Se o valor percebido diminui, o cliente, apesar do preço baixo, se descontenta e procura outro profissional. É uma situação que no médio e longo prazo ninguém sai ganhando.

No outro ponto do problema está a seguinte questão: se você cobra pouco, para ter bons faturamentos, é sensato pensar que você precisará vender muito e encher a sua agenda, não é? Agenda cheia significa menos tempo para si, de gozar da família, lazer, cuidar da saúde, dormir etc.

Trabalhar melhor não quer dizer trabalhar muito, quer dizer trabalhar de forma inteligente. Um passo fundamental para se livrar desses problemas e poder equilibrar sua vida profissional com a pessoal é escolher seus clientes, agregar o valor certo e cobrar preços condizentes.

Concluindo

Não me entenda mal, não tenho nada contra promoções e descontos, até os pratico eventualmente, mas é importante frisar que em momentos estratégicos. A mensagem que quero lhe deixar com esse artigo é para que você não alicerce seu negócio nesses eventos de preços baixos. Use-os com cautela e estratégia e não como a identidade da sua empresa.

EBOOK: O GUIA PARA SEU TRABALHO VALER AINDA MAIS

Comentários

Comentário